Como comprar um equipamento de raios-X

Bom pessoal, a Jabro está chegando e gostaríamos de dar algumas sugestões para quem pretende adquirir um equipamento radiológico e não quer ter dor de cabeça futura, como os vários casos aqui relatados.

Em primeiro lugar: esqueça o preço. Sim a última coisa que você deve se informar é o preço do equipamento. Este deverá ser o ítem decisor final, mas antes teremos alguns passos a seguir. À propósito, lembre-se de que milagre ninguém faz e ofertas muito tentadoras costumam embutir dissabores.

1. Momento da compra

Às vezes, estamos eufóricos com a perspectiva de comprar um novo equipamento, com nova tecnologia, que irá agregar valor à sua atividade profissional, nos empolgamos e aí é que mora o perigo.

Seja racional e mais incisivo possível. Deixe a euforia para quando o equipamento estiver em operação. Prepare-se: esta decisão afetará sua vida profissional pelos próximos 4 ou 5 anos. É muita coisa.

Tenha sempre em mente que você não precisa se decidir imediatamente. O vendedor vai argumentar sempre que os preços são válidos apenas até o fim da jornada ou congresso e isso não é verdade. Se for o caso, manifeste interesse, peça para que ele entre em contato na sua clínica. Você não vai perder a condição.

Não se deixe pressionar.

2. Que aparelho comprar?

A primeira coisa que vem à cabeça é perguntar ao professor, especialmente os marinheiros de primeira viagem. A opinião deles é, certamente, extremamente importante, mas considere que, por serem formadores de opinião e pessoas relevantes na especialidade, podem (e provavelmente) recebem um tratamento especial dos fornecedores. A opinião de simples mortais como você e eu também é relevante. Se você tiver um colega instalado nos fundões do seu estado, aí então será perfeito. Informe-se nos sites, pergunte. A informação é a melhor arma.

3. Qualidade das imagens

Recomendo antes, dar uma volta pelos stands e verificar quais os aparelhos que apresentam melhores imagens.

Porém, não se impressione muito com as imagens apresentadas no stand, em sites ou em catálogos, pois via de regra, são trabalhadas e distantes da realidade do dia a dia das clínicas.

Se você achar o equipamento interessante, peça ao vendedor que forneça o contato de clínicas que já tem o equipamento, próximas a você e, se possível, faça uma visita para avaliar pessoalmente.

Se, por lado, a qualidade não te convenceu, nem perca seu tempo.

Não tenha constrangimento de solicitar informações aos colegas, por intermédio deste site. Todos terão prazer em ajudar.

4. Prazo de entrega

Não tem a pronta entrega, ou pior, o vendedor ainda vai importar o equipamento? Essa situação vai te gerar prejuízos de duas formas: primeiro você irá dispor de um valor que ficará engessado sem ter garantias reais de entrega. Lembre-se que estamos no Brasil e que greves na alfandega e outros empecilhos burocráticos são muito comuns. A segunda questão, e de maior importância é o fato de perder faturamento com a falta do equipamento (já pago, ainda que parcialmente).

Portanto, evite adquirir equipamentos que não estejam no Brasil ou em estoque.

5. Prazo de instalação

Esta é uma questão extremamente importante e que já tive o desprazer de experimentar. Comprado o equipamento, a empresa envia em 3 ou 4 dias. Excelente. Porém, depois de alguns dias a assistência técnica informa que só poderá instalar a máquina dentro de 3 semanas (como foi o meu caso).

Ora, ao assinar o contrato você está liberando o banco para fazer o pagamento do equipamento. Portanto o prazo de vencimento da primeira parcela já está correndo. Resultado: você tem apenas alguns dias à mais para gerar receita com o novo equipamento, e pode não ter todo o dinheiro para completar o pagamento. Existe um caso que demoraram 60 dias para instalar uma máquina.

Então: exija que no corpo do pedido seja mencionada a data de entrega e a data da instalação.

6. Peças e Assistência Técnica

Agora vem o item mais complexo e certamente o mais importante. Mais importante até que o preço.

O equipamento radiológico é a alma da tua empresa. Se ele não funciona, você não fatura e, consequentemente não pode pagar seus compromissos. Mas tem um fator ainda mais nefasto: você perde clientes.

Portanto, equipamento bom é equipamento operando. Às vezes é melhor ter um equipamento mais limitado, talvez até com uma imagem não tão boa, mas que tenha confiabilidade, que tenha pronta assistência técnica, em detrimento de um com maior tecnologia.

Existe empresa que quando você vai comprar te tratam como um rei. Mas quando é preciso de assistência técnica, sem exagero, você é tratado como inimigo.

Como te falei anteriormente, o vendedor está louco para vender e receber sua comissão. Então você não deve acreditar totalmente nas suas palavras.

Pergunte sobre o estoque de peças de reposição se, por exemplo, precisar trocar um tubo de raios x, se existe em estoque, etc.

A mesma coisa quanto à quantidade de técnicos e seu treinamento. Quantos técnicos efetivamente receberam treinamento na fábrica? Quem é que vai montar os equipamentos? Quantos técnicos atendem o sua região ou seu estado? Essas ponderações são fundamentais para garantir o operação de seu equipamento.

Mas essas respostas você só vai obter mesmo consultando colegas que já têm o equipamento ou já trabalham com essa empresa. Entre em contato, pergunte e use o bom senso. Cuidado com aqueles que falam as mil maravilhas: afinal sabemos que nada é perfeito. Pequenos problemas podem ser aceitos e relevados, mas as mil maravilhas também não existem. Desconfie.

Outro fator importantíssimo é o valor de peças de mão de obra. Informe-se sobre a política de preços da empresa. Peça uma relação das principais peças e seus valores. Exemplo: existe uma empresa que, para pisar na sua clínica cobra perto de R$ 300,00 (deslocamento, quilometragem, etc.). É claro que isso é valido, pois existem custos. Mas considere se os valores são adequados para a sua realidade.

Lembre-se: o maior custo do seu equipamento não é o preço, mas sim a valor da assistência técnica preventiva e corretiva, das peças e principalmente das horas paradas! Lembre-se também que tubo de raios-x é como lâmpada: tem vida útil e terá que ser substituído. Costuma ser um dos componentes mais caros. Exija saber seu valor e faça uma pequena poupança para não ser pego desprevenido.

Quanto ao preço das peças, tem empresa que simplesmente dobra o seu valor em questão de meses. Ter uma relação de valores básicos é importante para evitar estes (e muitos outros) abusos. Mas este é assunto para uma próxima vez.

7. Agora sim: o preço!

Depois de analisar todas estas questões, chegou a hora da decisão. Considere tudo o que você verificou e decida pelo melhor custo-benefício. Dificilmente você vai errar!

 

Espero ter fornecido as ferramentas para otimizar seu processo de decisão. Boa sorte!

Obrigado a todos e boa Jornada.

C.M.A.

..:: Direitos Reservados © 2007 - www.acro.org.br ::..